Duarte confirma pedido por permanência e fala em reforçar partido para 2016

Paulo Duarte anunciou no início da semana que permanece à frente do PT regional
Paulo Duarte anunciou no início da semana que permanece à frente do PT regional

Corumbá (MS)- Trabalhar na reestruturação do Partido dos Trabalhadores em Mato Grosso do Sul valorizando o  trabalho com filiados comprometidos com a causa do partido, é a prioridade atual dentro da executiva Estadual do PT. A afirmação foi feita pelo prefeito Paulo Duarte na tarde desta quinta-feira (22), em entrevista à reportagem do Folha MS.

Segundo Duarte que afirmou no início da semana, permanecer à frente da presidência do PT em MS,  o momento é de rever posições e identificar os possíveis erros cometidos durante a campanha que, embora considerada positiva pelo partido, culminou com a derrota do candidato ao governo do Estado, Delcídio do Amaral. “Vamos trabalhar para formar um grupo coeso e que realmente tenha o comprometimento com o partido, neste primeiro momento estamos identificando pessoas filiadas que não tenham trabalhado na campanha, que não se enquadram na visão partidária do PT e vamos permanecer com quem realmente quer fazer parte do “time” e que aceite as orientações”, relatou.

Duarte voltou a reafirmar que levou em consideração para sua permanência na presidência do PT-MS, o pedido feito pela direção nacional  e de membros da Executiva Estadual do PT.  Rebatendo as declarações feitas pelo Deputado Zeca, Duarte negou que sua permanência no cargo traria algum tipo de prejuízo para o partido ou para Corumbá, cidade em que foi eleito para o cargo de prefeito municipal.

“De forma nenhuma a conciliação das duas funções irá trazer algum tipo de desagrado para as partes, inclusive, quando decidi pela minha permanência, uma das observações que ressaltei  foi  de que em nenhum momento haveria conflito entre as minhas atribuições”, disse.

Quanto ao fato de Zeca relatar ter feito contato com os dirigentes do partido e que nenhum deles confirmou o pedido pela permanência de Duarte, o prefeito de Corumbá voltou a afirmar que recebeu sim, solicitação tanto da direção nacional como da estadual contra a sua renúncia ao cargo. “Estive diretamente com Francisco Campus assim como o Rui Falcão”, garantiu.

Apaziguar

Bastou os rumores de uma possível renúncia de Paulo Duarte, para que o clima dentro do partido dos trabalhadores demonstrasse uma nítida divisão entre os membros da sigla. Duarte revelou que o clima de competição e divisão também teve influência em sua decisão. “Acabamos de sair de uma disputa eleitoral e uma nova disputa interna não seria saudável neste momento. Não que minha permanência signifique uma pacificação, mas pode evitar conflitos neste momento, porém, mais na frente se houver o entendimento de que haja a necessidade de uma nova eleição isso vai acontecer  e ninguém vai se impor”, afirmou.

“No mais, a população não quer mais ver essa disputa entre Zeca e Delcídio, até porque são duas figuras importantes e queridas dentro do partido e cada um com uma grande contribuição para nosso estado”, concluiu.

Comentários

Mais lidas

Sorry. No data so far.