Para evitar Lockdown prefeitura de Corumbá apela para conscientização da população

You are currently viewing Para evitar Lockdown prefeitura de Corumbá apela para conscientização da população
Apelo foi feito em live transmitida na pagina oficial da prefeitura / Foto: Clóvis Neto
  • Post author:
PUBLICIDADE

Corumbá (MS)- Em live realizada na manhã desta segunda-feira (31), a prefeitura de Corumbá através do chefe do poder executivo, apelou para a conscientização da população em relação a manter as medidas de biossegurança no controle da pandemia para evitar um possível “locdown”, no município.

“O lockdown é uma medida extrema e que não queremos adotar, mas se a situação não melhorar, vamos sim optar por salvar a vida das pessoas”, reforçou o prefeito Marcelo Iunes.

PUBLICIDADE

A transmissão realizada na fanpage da prefeitura e contou com a participação do diretor-presidente da Junta Interventora que administra a Santa Casa de Corumbá, Adriano Pires, o gerente administrativo do Hospital Cassems Corumbá, Israel Dias, o médico Manoel João e o secretário de Governo, Eduardo Iunes.

Os representantes da rede hospitalar reafirmaram que, a exemplo do que acontece em praticamente todo o País, os leitos de UTI estão lotados com pacientes da Covid-19. Tanto na Santa Casa quanto na Cassems, não há falta de medicamentos, EPIs ou de oxigênio, porém, a disponibilidade desses materiais no mercado está ficando escassa.

“Há uma procura gigantesca por todos os Municípios e pela rede privada. Temos que consultar de 25 a 30 empresas para conseguir alguns itens. Além disso, o tempo para entrega também ficou muito maior do que o normal”, explicou Adriano, destacando os investimentos feitos pela Prefeitura no único hospital público da região.

Fila de espera

Após mais de um ano da chegada da pandemia no município, pela primeira vez, há fila de espera por leitos de uti no município.

PUBLICIDADE
Dr. Manoel João alertou para alta taxa de ocupação de leitos na cidade

“Chegamos a receber pacientes de fora quando em todo o estado já havia fila de espera por um leito, situação que ainda não mudou. Tivemos que parar de receber porque nossa capacidade está no limite e agora pela primeira vez, eu me encontro na situação de dar 10 altas como fiz neste domingo e eu ter 30 lá fora para entrar”, destacou o médico Manoel João.

“Não é hora de fazer festas, de aglomerar. Estamos vivendo um momento crítico dessa pandemia, nosso hospital está lotado e nossos profissionais, que são verdadeiros guerreiros, estão exaustos. Então fiquem em casa”, concluiu.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE