Justiça condena padrasto, mãe e tia por abusos sexuais contra criança em Corumbá

Mulher é agredida
  • Autor do post:
  • Post publicado:2 de dezembro de 2023

Um caso de abusos sexuais contra uma jovem, que durou 12 anos, teve um desfecho na Justiça de Corumbá. O padrasto, a mãe e a tia da vítima foram condenados a penas que somam 139 anos de prisão, pelos crimes de estupro de vulnerável, estupro qualificado e estupro simples, nas suas formas omissivas e também comissivas.

A condenação foi resultado de um trabalho investigativo realizado pela Polícia Civil, por meio da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Corumbá.

Segundo as investigações, os abusos começaram quando a vítima tinha 7 anos e só terminaram quando ela completou 19 anos, em 2022. Durante esse período, ela foi submetida a múltiplos episódios de violência sexual, física e psicológica, praticados pelo padrasto, com a conivência e a participação da mãe e da tia.

Publicidade

99 abusos sexuais

Os autores negavam comida e restringiam a liberdade da vítima, como forma de coagi-la a se submeter aos abusos.

O caso foi denunciado anonimamente à Delegada da DAM de Corumbá, no final de 2022. Após ouvir a vítima e colher provas, a Delegada solicitou a prisão preventiva do padrasto, três dias depois da denúncia, e medidas restritivas de direito para a mãe e a tia.

O Inquérito Policial foi concluído e enviado ao Poder Judiciário em 01/11/2022, com a confissão dos autores.

Todo processo judicial durou pouco mais de um ano e culminou na sentença condenatória, proferida pelo Juiz da Vara Criminal de Corumbá.

O padrasto, de 45 anos, recebeu a maior pena: 68 anos e 10 meses de reclusão. A mãe foi condenada a 57 anos e 6 meses de reclusão. A tia foi sentenciada a 13 anos e 6 meses de prisão. O Juiz destacou a gravidade dos crimes cometidos contra a vítima, que teve sua dignidade e sua infância violadas pelos próprios familiares.