Juiz cobra maior investimento em segurança e aumento do efetivo das polícias em Corumbá

Titular da 1ª Vara Criminal de Corumbá cobrou um maior investimento na segurança de fronteira, em especial com o aumento de efetivo das polícias nessas áreas / Foto: Leonardo Cabral

“Observo que Corumbá sempre é relegada em segundo plano, não é de hoje, mas sim, sempre. Precisamos refletir se quisermos uma segurança pública com seriedade, pois não podemos deixar Corumbá em segundo plano”. Essas foram as palavras do juiz André Luiz Monteiro titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de Corumbá e Ladário, na manhã desta quinta-feira, 07 de dezembro, durante a solenidade de entrega da obra de reestruturação e ampliação do anexo III, da Penitenciária Masculina de Corumbá.

Segundo o magistrado, é importante que se invista na segurança das fronteiras, especialmente em Corumbá que está localizada na divisa com cidades bolivianas.

“Não podemos trabalhar com quatro delegados e um efetivo composto por 130 homens da Polícia Militar, enquanto a cidade de Aquidauana tem mais de 200. Precisamos refletir qual segurança pública que queremos? E o primeiro passo é cuidar de frente as nossas fronteiras”, mencionou em seu discurso o juiz André Luiz.

Na oportunidade, ele também revelou que um viveiro poderá ser instalado nos presídios feminino e masculino, “uma parceria com a Embrapa Pantanal, vai possibilitar a implantação de um viveiro nas unidades, buscando trabalhar a ressocialização dos internos”, revelou antes de sair para uma reunião que trataria doa assunto.

Já o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, confirmou que a atuação e apenas 130 homens é pouco, e tentou amenizar a situação ressaltando os trabalhos que refletem de forma positiva em Corumbá e também no Estado, afirmando que, a Polícia do Mato Grosso do Sul, é a melhor do Brasil.

“Temos deficiência de efetivo em MS, todos os prefeitos reclamam disso. Quando se fala em duas cidades, Jardim e Aquidauana, o que explico é que, os militares dotados nessas unidades, não atendem apenas essas duas cidades, mas sim outros municípios localizados, denominada base operacional. 130 é um número muito pequeno e esses homens fazem milagre em Corumbá. Estamos atentos ao final de ano, onde teremos um curso de formação e cabos. Corumbá receberá em torno de 40 policiais que ficarão por volta de três a quatro meses, reforçando o policiamento. O governo vem trabalhando para o lançamento do concurso público ainda este ano, visando a contratação de mais militares”, falou.

Ainda de acordo com secretário, é necessário cobrar também a omissão do governo federal, principalmente no que tange a região de fronteira, “se pegarmos o total de presos no Estado, em torno de 40% são oriundos do tráfico de drogas, o mesmo acontece no feminino com mais de 70% das mulheres recolhidas pelo mesmo crime, tráfico internacional de drogas. Esses presos deveriam estar custodiados em presídios federais, mas não é isso que acontece, já que são encaminhados aos presídios estaduais. Um interno em Mato Groso do Sul, custa hoje 1,7 mil, se fosse no presídio federal ele custaria em torno 4 mil reais”, mencionou.

 

 

 

Relacionadas

Comentários

%d blogueiros gostam disto: