Pantanal: Incêndios persistem mesmo após combate com aeronave

Você está visualizando atualmente Pantanal: Incêndios persistem mesmo após combate com aeronave
  • Autor do post:
  • Post publicado:17 de junho de 2024

Corumbá (MS)- A situação das queimadas que atingem o Pantanal tem se agravado devido às condições climáticas que afeta o estado há mais de duas semanas.

Ausência de chuva, temperaturas acima da média para esta época do ano e a baixa umidade do ar, criam um ambiente propício para propagação das chamas, dificultando ainda mais o trabalho das guarnições do Corpo de Bombeiros e Brigadas que atuam no combate às chamas.

Nesta segunda-feira, 17 de junho, os trabalhos de combate e prevenção aos incêndios florestais no estado entram no 77º dia de trabalho.

Publicidade

99 Pantanal

A intensificação dos focos de fogo na última semana exigiu medidas ainda mais robustas, com a incorporação da aeronave “air tractor” à força-tarefa.

Combate com aeronave aos incêndios que persistem no Pantanal.
Aeronave faz lançamento de água sobre incêndios no Pantanal / Fotos: Divulgação Corpo de Bombeiros

Neste fim de semana, nas proximidades da cidade de Corumbá, uma equipe foi acionada pelo SCI (Sistema de Comando de Incidentes), em Campo Grande, para efetuar o monitoramento e combate do foco do incêndio florestal. O deslocamento para a área queimada ocorreu com uso de embarcação, para preservar pastagens e evitar a evolução do foco para outras áreas, e a equipe contou com apoio da aeronave ‘air tractor’.

No entanto, a vegetação densa, alta e muito seca favoreceu a propagação acelerada do fogo, tornando ineficazes os esforços das equipes, tanto por terra como pelo ar. As condições atmosféricas e do combustível presente provocavam a reignição dos focos combatidos, em poucos minutos.

Na mesma região, a equipe posicionada na área de adestramento do Rabicho realizou combate ao incêndio florestal pela retaguarda, na região da Nhecolândia, com auxílio de fuzileiros navais para combate e no suporte logístico daquela operação.

Pantanal

Também na Nhecolândia, os proprietários das fazendas na região do Taquari colocaram maquinários e funcionários à disposição, o que permitiu o controle de vários quilômetros da frente de fogo que veio do Paraguai Mirim. Em outro ponto, à margem direita do Rio Paraguai, na região do Formigueiro, também é feito combate ao incêndio florestal.

Na atual fase da Operação Pantanal 2024, mais de 100 bombeiros e militares atuam em operações de combate aos incêndios, inclusive com o apoio do Exército e da Marinha. O incêndio em frente à captação d’água em Corumbá foi controlado há cinco dias o que melhorou a qualidade do ar na cidade, aliado às ações de combate em outros focos, que também eram responsáveis por dispersar a fumaça, que hoje (17) tem uma situação mais amena.

Na Barra do Rio São Lourenço, a guarnição da base avançada na região permanece em monitoramento de um incêndio florestal no estado de Mato Grosso. Por meio de imagens de drone, foi constatado que as chamas não avançaram para Mato Grosso do Sul.

Na região do Forte Coimbra, uma guarnição em conjunto com os militares do exército extinguiu o incêndio florestal. A outra guarnição segue no monitoramento do foco de incêndio presente na Bolívia, às margens do Rio Paraguai, onde foi constatado uma linha de fogo de aproximadamente 600 metros, localizada 4,5 quilômetros após a fronteira com o país vizinho.

incendios pantanal1 Pantanal

As demais bases estão dedicadas ao monitoramento, prevenção e orientação junto à comunidade local, testes operacionais e manutenção de equipamentos, garantindo ações de resposta dos bombeiros.

Operação

As ações de combate aos incêndios florestais em Mato Grosso do Sul tiveram início no dia 2 de abril – com a fase de prevenção – e no dia 15 de maio, pela primeira vez, começaram a instalação pelas equipes do Corpo de Bombeiros das bases localizadas em diferentes áreas no Pantanal.

Os locais servem de suporte para os bombeiros e equipamentos durante a temporada do fogo. No Pantanal, a instalação das bases avançadas ajuda a reduzir o tempo de resposta para as ações de combate em locais remotos e de difícil acesso, além de contribuir no monitoramento das áreas localizadas na divisa com o estado do Mato Grosso e na fronteira com a Bolívia.

A atuação dos bombeiros faz parte de um plano abrangente do Governo do Estado para mitigar os dados dos incêndios florestais no Pantanal, devido ao alerta climático para todo Mato Grosso do Sul que registra chuvas abaixo da média desde dezembro do ano passado.