Governo antecipa temporada de incêndios no Pantanal após 178 mil hectares queimados em dois meses

Você está visualizando atualmente Governo antecipa temporada de incêndios no Pantanal após 178 mil hectares queimados em dois meses
Foto:Joédson Alves/Agência Brasil
  • Autor do post:
  • Post publicado:1 de maio de 2024

A temporada de incêndios no Pantanal, tida como a mais grave do ano, chegou mais cedo em 2024. Diante da realidade preocupante, o governo federal e os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul uniram forças para prevenir e combater as chamas que já consumiram 178 mil hectares nos primeiros meses do ano.

Em uma medida inédita, o Ministério do Meio Ambiente e da Mudança Climática reeditou a portaria de emergência ambiental, ampliando o período de risco para os meses de março a outubro em todo o bioma. A ação visa reforçar a fiscalização e o combate aos incêndios florestais, que, em 95% dos casos, segundo estudos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), são causados por ação humana.

Para prevenir a propagação do fogo, o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), com o apoio da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e da Wetlands, mapeou 127 propriedades rurais com alto risco de incêndio. Em áreas estratégicas, a queima prescrita, realizada em conjunto com os Bombeiros e proprietários rurais, serve como ferramenta para reduzir a quantidade de material combustível e evitar grandes incêndios.

A tecnologia também está sendo fundamental no combate aos incêndios. A plataforma “Pantanal em Alerta”, desenvolvida pelo Lasa/UFRJ, monitora focos de calor em tempo real, permitindo que as equipes de combate sejam acionadas rapidamente. Entre março e abril, 186 focos de calor foram detectados em 8 municípios pantaneiros, possibilitando ações imediatas para conter as chamas.

A ministra do Meio Ambiente e da Mudança Climática, Marina Silva, destacou a importância da cooperação entre os governos federal e estaduais no combate à criminalidade ambiental. “A melhor forma de combater a criminalidade é pela mudança no modelo de desenvolvimento”, afirmou a ministra durante visita a Campo Grande em abril.

Participe da lista VIP do WhatsApp do  FOLHA MS e receba as principais notícias no seu celular