Sistema de emendas parlamentares do Governo de MS vai agilizar entregas para os municípios

Você está visualizando atualmente Sistema de emendas parlamentares do Governo de MS vai agilizar entregas para os municípios
  • Autor do post:
  • Post publicado:9 de fevereiro de 2024

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul reuniu assessores dos deputados estaduais da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (8), para apresentar o sistema das Emendas Parlamentares, que será a plataforma online oficial para as indicações dos parlamentares.

Na mesma ocasião, também foi explicado o cronograma de pagamentos dos recursos que, este ano, deve estar em consonância com as regras eleitorais, já que 2024 é ano de eleições municipais.

Com um aumento de 30% no valor dos recursos destinados às emendas, o Governo disponibiliza neste ano R$ 72 milhões, sendo R$ 3 milhões para cada parlamentar, para atenderem as demandas dos municípios encaminhadas aos gabinetes do legislativo.

O secretário-adjunto da Casa Civil, João César Matogrosso, destacou que a criação desta ferramenta digital foi uma proposta do governador Eduardo Riedel para que os processos das indicações dos deputados estaduais tenham um ritmo mais rápido e eficaz.

João César também ressaltou que o prazo do registro das indicações se encerra no dia 17 de março, e que o prazo para o pagamento das emendas processadas será até 6 de junho. “E as remanescentes, em 30 de novembro”, explicou, conforme prevê a legislação eleitoral.

O assessor parlamentar Silvério Arakaki Filho destacou que a plataforma digital avança nos quesitos da agilidade por avançar nos prazos de processamento. “Tira a burocracia do papel e traz celeridade, prazos razoáveis e a possibilidade do acompanhamento online, isso facilita na intermediação com o Governo do Estado”, pontuou.

Para Édio Viegas, que comanda a Superintendência das emendas Parlamentares no Governo de Eduardo Riedel, a ação coroa um processo que foi realizado entre os servidores do Governo e da Assembleia, que testaram e homologaram o sistema. “ No sistema é possível cadastrar as emendas, contabilizar os valores, analisar documentos e dar os encaminhamentos à execução”, explicou Édio Viegas.

As indicações seguem a regra padrão de que 60% devem ser destinados para a área da Saúde (R$ 1,8 milhão), sendo que 50% deste montante deve obedecer a modalidade do Fundo a Fundo.

Participe da lista VIP do WhatsApp do  FOLHA MS e receba as principais notícias no seu celular