Funcionários do Hospital de Anastácio podem ser punidos por filmarem corpos

Você está visualizando atualmente Funcionários do Hospital de Anastácio podem ser punidos por filmarem corpos
Quarto dos seis cadáveres tiveram os rostos filmados e imagens divulgadas nas redes sociais
  • Autor do post:
  • Post publicado:12 de dezembro de 2023

Na sexta-feira (8), dois funcionários do Hospital de Anastácio, localizado a 122 quilômetros de Campo Grande, filmaram e divulgaram na internet os corpos de quatro dos seis suspeitos que morreram em confronto com a polícia civil na zona rural do município.

O vídeo causou indignação e repúdio nas redes sociais. A reportagem optou por não mostrar as imagens em respeito aos mortos e aos familiares.

No vídeo, é possível ver uma pessoa de luva cirúrgica, jaleco azul, calça jeans e tênis, levantando os lençóis que cobriam os rostos dos cadáveres, que estavam em macas.

Atrás dela, outra pessoa, que aparenta ser uma mulher, fazia a filmagem com um celular. A gravação foi feita sem autorização e sem nenhum cuidado com a dignidade humana.

A direção do Hospital de Anastácio emitiu uma nota oficial, na qual afirmou que abrirá uma investigação para apurar o caso e, se confirmado o envolvimento de algum colaborador na produção e divulgação do vídeo, aplicará uma punição adequada à gravidade do fato.

A nota também expressou o repúdio do hospital a qualquer ato que viole a integridade do paciente e a ética profissional, e reforçou os valores que orientam a conduta dos seus funcionários.

O crime de vilipêndio a cadáver, que consiste em desrespeitar ou ultrajar um corpo, está previsto no artigo 212 do Código Penal Brasileiro, e pode acarretar pena de um a três anos de detenção e multa.