18ª Brigada encerra Operação Ágata com mais de R$ 500 mil de prejuízo ao crime organizado

Você está visualizando atualmente 18ª Brigada encerra Operação Ágata com mais de R$ 500 mil de prejuízo ao crime organizado
Operação Ágata realizada na fronteira oeste do Brasil - Foto Arquivo Folha MS
  • Autor do post:
  • Post publicado:25 de novembro de 2022

Corumbá (MS)- Com mais de 400 militares, a 18ª Brigada de Infantaria de Pantanal, realizou entre os dias 18 a 23 de novembro, preventivas e repressivas pontuais na faixa de fronteira no âmbito da Operação Ágata.

De acordo com nota divulgada pelo comando militar, foram realizadas atividades de patrulhamento terrestre e fluvial, Posto de Bloqueio e Controle de Estradas, abordagens e revista de pessoas, veículos, composições ferroviárias e embarcações.

As ações, resultaram em quase meio milhão de reais em prejuízo ao crime organizado, com as apreensões de 14 kg de maconha, 16 kg de cocaína, 3 kg de pasta base de cocaína e 200 kg de folhas de coca.

Publicidade

99

A atividade reforça a presença de militares e de integrantes dos órgãos de segurança pública e de fiscalização que já se faz presente diariamente na faixa de fronteira, sendo a 18ª Brigada de Infantaria de Pantanal responsável por cobrir cerca de 822 quilômetros de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia.

A Operação Ágata, foi coordenada pelo Comando Militar do Oeste, com sede em Campo Grande, e teve como objetivo, prevenir e reprimir os crimes transfronteiriços e ambientais na faixa de fronteira, com foco na região do Pantanal Sul-mato-grossense.

Esta foi a terceira operação realizada no ano de 2022 na área de responsabilidade da 18ª Brigada, sendo a primeira em fevereiro, a segunda em julho e a última agora em novembro, empregando mais de 1.600 militares em duas mil ações de patrulhamento e controle de vias.

Essas atividades de combate ao crime culminaram na apreensão de 78 kg de cocaína, 417 kg de pasta base de cocaína, 56 kg de maconha e 5 toneladas de produtos fruto de descaminho, totalizando um valor estimado de mais de 3 milhões de reais em apreensões.

A Operação Ágata integra o Plano Estratégico de Fronteiras do Governo Federal, criado para prevenir e reprimir a ação de criminosos na divisa do Brasil. A atuação das Forças Armadas na faixa de fronteira, em situação de normalidade, está amparada pela Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, atualizada pela Lei Complementar nº 117, de 2 de setembro de 2004, e pela Lei Complementar nº 136, de 25 de agosto de 2010.

O Exército Brasileiro, por meio da 18ª Brigada de Infantaria de Pantanal, reafirma a sua missão constitucional e permanece de prontidão na extensa faixa de fronteira brasileira realizando os patrulhamentos necessários para coibir as diversas atividades ilícitas e, assim, contribuir para a garantia da ordem e do bem-estar social.