Bombeiros e PMA investigam pontes destruídas pelo fogo no Pantanal

You are currently viewing Bombeiros e PMA investigam pontes destruídas pelo fogo no Pantanal
  • Post author:

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar Ambiental (PMA) estão investigando a origem dos incêndios que destruíram oito pontes de madeira nos pantanais de Corumbá e Porto Murtinho, nas últimas 48 horas.

O secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, disse que as pontes serão recuperadas. Ele condenou o ato. “Existem indícios de incêndio criminoso e isso está na mão na Polícia de Mato Grosso do Sul, vamos investigar e buscar os responsáveis. Não estamos falando apenas do patrimônio público, mas também sobre o direito das pessoas de ir e de vir, afinal, não podemos deixar as comunidades isoladas. É um ato grave”, afirmou o secretário.

PUBLICIDADE

Há indícios de ação humana, segundo os primeiros levantamentos, com a ocorrência do fogo apenas nas estruturas das travessias que dão acesso e escoamento a produção de regiões isoladas do bioma.

Um dos registros mais recentes ocorreu na estrada MS-195, em Porto Murtinho, onde incêndio destruiu a ponte sobre o Córrego Progresso. Testemunhas ouvidos durante as investigações informaram que foram encontrados galões de combustível próximo ao local do sinistro, configurando prática de crime.

PUBLICIDADE

Combate e monitoramento

A ponte é o único acesso de produtores rurais e a interrupção prejudica também os moradores da Colônia Ingazeira e transporte de alunos a cidade, distante 30 quilômetros. O Corpo de Bombeiros registrou pelo menos três focos de calor na região em 48h.

Nas estradas MS-325 e MS-243, Pantanal do Nabileque, ao Sul de Corumbá, sete pontes de madeira foram queimadas nos últimos dias, a maioria entre o Morro do Azeite (BR-262) e os trilhos da ferrovia Noroeste do Brasil, que corta a região pantaneira.

Nesta região, a localidade conhecida como Carandazal está concentrando os maiores incêndios florestais desde o início do mês de julho. A Operação Hefesto, com sede em Corumbá, está atuando no combate e monitoramento dos focos, um deles ativado na fazenda São Francisco do Pau Arcado.

“Durante a atividade de combate ao incêndio no Carandazal a guarnição resgatou um filhote de jacaré que estava fugindo do incêndio e o soltou num açude de uma área segura”, informou a tenente-coronel Tatiane Dias de Oliveira Inoue, comandante da operação.

Região do Carandazal sofre com queimadas ( Foto: Divulgação )

PUBLICIDADE