Com carnaval cancelado, vereador sugere criação de auxilio para ambulantes em Corumbá

You are currently viewing Com carnaval cancelado, vereador sugere criação de auxilio para ambulantes em Corumbá
  • Post author:
PUBLICIDADE

Corumbá (MS)- Com o anúncio do cancelamento da maior festa carnavalesca de Mato Grosso do Sul, e com o objetivo de minimizar as perdas de centenas de famílias afetas financeiramente com a suspensão do evento, o vereador Chicão Vianna (PSD), enviou ofício ao prefeito Marcelo Iunes na tarde desta quarta-feira (10), sugerindo a criação de um auxílio financeiro a centenas de trabalhadores ambulantes que não poderão trabalhar nos dias em que se realizariam os festejos do Carnaval.

A suspensão do ponto facultativo bem como o cancelamento do Carnaval de Corumbá foi informada pela Prefeitura destacando que a medida seguiu recomendação da Secretaria Municipal de Saúde como forma de evitar a propagação da Covid-19. Corumbá aparece no nível mais alto em risco de transmissão do vírus dentro do estado, segundo dados do programa “Prosseguir” do Governo de Mato Grosso do Sul.

PUBLICIDADE

De acordo com o parlamentar, são mais de 200 trabalhadores afetados diretamente com o encerramento das festividades na cidade. Para ele, famílias que já estão sendo prejudicadas financeiramente pela pandemia e que contavam anualmente com os ganhos gerados com a intensa movimentação financeira no município nesta data, terão a situação agravada.

Comerciantes e ambulantes tem no carnaval oportunidade de geração de renda

“É com o objetivo de minimizar esta difícil situação já vivenciada por inúmeros trabalhadores que sugerimos por meio de ofício encaminhado ao prefeito, a elaboração de um projeto para criação de auxílio monetário aos ambulantes que não poderão auferir renda com as festividades de carnaval neste ano de 2021, visando assim garantir que os mesmos possam manter sua subsistência neste difícil período que passamos”, destacou o vereador.

Recursos Próprios

Vereador Chicão Vianna

O parlamentar destacou ainda que o referido projeto de auxílio financeiro poderia se utilizar da realocação de recursos próprios do município que seriam normalmente investidos na realização da festa, como repasses às entidades carnavalescas, já que as mesmas não realizaram desfiles neste ano, ou ainda, com o dinheiro destinado ao pagamento de cachês dos artistas e shows que seriam contratados neste período.

“É um momento em que o poder público, e neste sentido não apenas o governo federal como estadual e municipal, precisam atuar para minimizar os problemas enfrentados pela população. A despeito da crise financeira que afeta o país, percebemos que a prefeitura promoveu a contratação em massa de comissionados em plena pandemia e que custam quase R$ 3 milhões de reais por mês aos contribuintes. O prejuízo não pode ser concentrado apenas nas camadas menos favorecidas da sociedade”, concluiu o vereador.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE