Sem dinheiro e diretoria constituída, Corumbaense pede afastamento do Estadual 2020

Você está visualizando atualmente Sem dinheiro e diretoria constituída, Corumbaense pede afastamento do Estadual 2020
Equipe fez último treino antes da partida na manhã deste sábado / Foto: Divulgação
  • Autor do post:
  • Post publicado:24 de novembro de 2020

Corumbá (MS)- Uma crise financeira motivada pela atual pandemia pelo novo Coronavírus, seria o motivo para a desistência do Corumbaense em disputar as quartas-de-final do Estadual 2020.

Em documento protocolado na tarde desta segunda-feira (23), junto a Sede da Federação Sul-Mato-Grossense de Futebol, a comissão gestora que gerencia o clube até a realização das eleições de uma nova diretoria, enfatizou que a pandemia tornou escasso os recursos de determinadas atividades, em especial o futebol.

Outra razão especificada no documento é o fato do não cumprimento do estatuto por parte da antiga administração do clube que teria deixado de realizar as eleições dos poderes do clube, deixando assim, a entidade sem um comando administrativo e financeiro.

“Fato esse deixou o clube acéfalo, sem um responsável legal, e pior, sem direção administrativa e financeira legal, sem poder pagar ou receber, sem poder assinar e nem cumprir seu papel de instituição”, esclarece o documento.

Conforme a justificativa apresentada a atual situação traz alguns impeditivos ao clube como a falta de possibilidade de assinar contratos de trabalho com jogadores e funcionários; ausência de legalidade para receber repasses públicos o que inviabiliza a manutenção da equipe dentro do campeonato estadual de 2020.

O pedido ainda enfatiza que a decisão se aplica apenas para o campeonato estadual vigente, e mantém a sua participação para o campeonato Estadual da Série A de 2021.

Dívidas

Com a interrupção do campeonato em decorrência da pandemia, o clube teria sido forçado a dispensar os atletas que até então participavam da competição. A crise também teria segundo as informações, interrompido os repasses publicitários do clube com patrocinadores e parceiros.

A falta de recursos teria implicado ainda em uma dívida junto a Liga de Esporte de Corumbá, LEC, proprietária do Estádio Arthur Marinho onde o clube disputa seus jogos em casa. O Corumbaense não teria conseguido arcar com as despesas referente a luz do prédio e sem recursos, em uma primeira conversa com a Federação, decidiram em realizar a próxima partida em Campo Grande.

Para driblar a falta de jogadores que teriam sido dispensados, foi cogitada a possibilidade do clube enviar a campo os atletas do sub-19, mas a proposta não avançou e sem dinheiro para arcar com custos de deslocamento, alimentação, hospedagem e demais gastos o clube decidiu solicitar o afastamento.

Regulamento

Segundo o regulamento, a decisão de afastamento não deve acarretar em punições para o clube já que existe a determinação de que as equipes que tenham sido afetas pela pandemia do Novo Coronavírus, prevê a possibilidade da não aceitação por parte dos clubes e federações quanto as alterações arbitrais, tanto pela limitação financeira, modificações do calendário desportivo anual e outros fatores externos.

Com a desistência, o Aquidanauense, que seria o adversário do Carijó está automaticamente classificado para a semifinal. Situação semelhante ocorre com o Águia Negra, após o Maracajú também solicitar o afastamento da competição.

As partidas entre Serc x Costa Rica e Operário x Comercial foram mantidas e devem ocorrer nos dias 28 e 29 de novembro.

Participe da lista VIP do WhatsApp do  FOLHA MS e receba as principais notícias no seu celular