Traficantes que traziam drogas da Bolívia por aeroporto em Corumbá são condenados pela Justiça Federal

Você está visualizando atualmente Traficantes que traziam drogas da Bolívia por aeroporto em Corumbá são condenados pela Justiça Federal
  • Autor do post:
  • Post publicado:27 de agosto de 2019

A Justiça Federal condenou nove réus acusados pelas práticas de lavagem de dinheiro, associação para o tráfico e tráfico internacional de drogas. O líder do grupo, o já conhecido narcotraficante Gerson Palermo, foi condenado a 59 anos e 9 meses de reclusão. Outros cinco réus foram absolvidos das imputações lançadas na denúncia.

O processo foi desmembrado com relação ao réu Lucas Donizetti Bueno de Camargo em razão de instauração de incidente de verificação de dependência química e insanidade mental.

Em maio de 2017, o Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul denunciou 17 pessoas com base em investigação batizada de “Operação All In”, a cargo da Polícia Federal.

A sentença da 3ª Vara Federal de Campo Grande reconheceu a existência de um esquema criminoso organizado que executava transporte de drogas da Bolívia com uso de aviões para o território nacional e, em seguida, utilizava caminhões para levar o entorpecente ao destino final. Em Corumbá, o grupo criminoso operava as ações delitivas com uso do aeródromo de Ocorema, de onde partiam os voos com destino à Bolívia para buscar a droga. Em somente duas apreensões feitas pela PF, mais de 810 kg de cocaína foram encontrados com os criminosos.

A quadrilha fazia uso de “laranjas” para ocultação da propriedade de veículos e aeronaves. Boa parte do dinheiro do grupo era movimentada de forma oculta, com emprego de contas bancárias de terceiros. Caminhões, carros e aeronaves foram confiscadas pela Justiça Federal.

Foram condenados:

  • Gerson Palermo – 59 anos, 9 meses e 1 dia de reclusão, e 5580 dias-multa, em regime inicial fechado.
  • Osvaldo Inácio Barbosa Júnior – 19 anos, 9 meses e 27 dias de reclusão e 2960 dias-multa.
  • Luiz Carlos Fernandes de Carvalho – 16 anos e 13 dias de reclusão, e 2416 dias-multa.
  • João Leandro Siqueira – 8 anos e 3 meses de reclusão, e 826 dias-multa.
  • Milton Motta Júnior – 6 anos, 1 mês e 15 dias de reclusão, e 1429 dias-multa.
  • Hugo Leandro Tognini – 4 anos e 8 meses de reclusão, e 1088 dias-multa.
  • Ézio Guimarães dos Santos – 9 anos, 9 meses e 7 dias de reclusão, e 1286 dias-multa.
  • Eduardo Peres da Silva – 3 anos, 10 meses e 15 dias de reclusão, e 53 dias-multa.
  • Antonio Feitosa Neto – 3 anos de reclusão, e 10 dias-multa.

Foram absolvidos: Caio Luiz Carloni, Sebastião Nunes Siqueira, Nabih Roberto Awada e Jurandir Rosa Morais.

Participe da lista VIP do WhatsApp do  FOLHA MS e receba as principais notícias no seu celular