Homem salvo por cães de ataque de onça espera por reencontro com seus “anjos da guarda”

You are currently viewing Homem salvo por cães de ataque de onça espera por reencontro com seus “anjos da guarda”
  • Post author:

O homem de 58 anos que foi atacado por uma onça-pintada e salvo pelo seus cinco cães em uma fazenda de Porto Murtinho, e, ainda não viu os animais. Segundo Julian Romero, que se recupera em uma chácara próximo à cidade desde o último dia 14, já são nove dias longe dos cachorros que para ele são considerados heróis: “Estou morrendo de saudade, não vejo a hora de abraçar meus anjos da guarda”.

PUBLICIDADE

Conforme a esposa de Julian, Anselma Benitez, de 57 anos, o marido pergunta pelos cães todos os dias e acredita que os animais também estejam sentindo muita falta dele: “São 2 machos e duas fêmeas, todos eles são bravos, mas muito dóceis com a gente, são nossos companheiros. Não vemos a hora de vê-los”, explicou. De acordo com Anselma, os animais chegaram ainda filhotinhos na propriedade rural e sempre estão acompanhando o marido nas atividades no campo.

Barão, Anita, Chiquinha, Vagabundo e Solita estavam com o dono na fazenda e espantaram a onça, que já estava com as patas sobre as costas do homem.

“Se não fosse eles no dia do ataque, meu marido não estaria mais aqui. Ele se recupera bem e falta só mais um dia para ele tirar os pontos”, ressalta.

Segundo o médico Diego Ruiz, Julian teve quatro perfurações e cada uma precisou de 3 pontos. A vítima também demorou cerca de 8 horas para chegar até o hospital onde ficou internado na área vermelha e foi liberado no mesmo dia.

PUBLICIDADE

Relembre o caso

Julian relata que estava a cavalo na fazenda acompanhado pelos cães quando sentiu mau cheiro na área de mata e foi verificar do que se tratava.

“Eu fui cedo levar sal no coxo para as vacas e vi uns urubus sobrevoando a mata, desci do cavalo e quando vi era uma anta morta. Logo em seguida a onça pulou nas minhas costas”, relembra. Julian levou um tapa e uma mordida nas costas. O médico que atendeu o homem informou que ele teve quatro perfurações na região das costas e só conseguiu chegar 8 horas depois ao hospital de Porto Murtinho.

Onças atacam para proteger sua caça

O presidente da Organização Não-Governamental (ONG) Panthera, Leonardo Avelino, explica que a onça pode ter interpretado a presença dos 5 cães como uma “concorrência” alimentar para a caça que protegia: “As onças costumam ficar agressivas com a proximidade de cães, a razão do ataque pode ter sido justamente a presença deles”, afirma.

Segundo o coronel Queiroz da Polícia Militar Ambiental (PMA), em duas outras ocasiões, funcionários de uma fazenda foram verificar mau cheiro e foram atacados por onças também, porque especialmente a onça-pintada defende seu alimento:

PUBLICIDADE

“Ela mata a presa, depois fica se alimentando e vigiando essa carne. Essa é uma das formas em que ela pode atacar o ser humano, porque a onça-pintada não encara um ser humano adulto como uma presa, ela tende a se afastar, mas para defender seu alimento ou seus filhotes ela pode atacar”, explica.

PUBLICIDADE