Setor de transporte fecha fronteira entre Brasil e Bolívia por tempo indefinido

Bloqueio será por tempo indeterminado, afirma setor de transporte pesado- Fotos: Leonardo Cabral

Desde às 00h, desta terça-feira, 09 de janeiro, a fronteira entre Brasil e Bolívia está fechada. Não é permitida a entrada e saída de veículos no local. A medida prevista para acontecer ontem (08), foi definida para hoje, quando o setor de transporte cumpre o bloqueio em algumas regiões do país vizinho ocorridas desde as primeiras horas de segunda-feira.

Mesmo apesar do governo boliviano, por meio do ministro de Governo, Carlos Romero, ter afirmado, que o trânsito naquele país estava normalmente operando e que nas regiões de fronteira não teria nenhum movimento em relação ao fechamento das áreas, o setor de transporte decidiu pelo bloqueio das vias dentro da Bolívia. Na fronteira com o Brasil, será por tempo indeterminado.

Presidente do setor de transporte epsado na região, disse que bloqueio será por tempo indefinido

De acordo com o presidente da associação de transporte pesado em Arroyo Concepcion, Angel Saabedra, em entrevista ao Folha MS, ele disse que a medida tomada em relação ao fechamento da fronteira é em apoio ao transporte nacional pesado.

“Quero esclarecer que é em apoio ao transporte pesado nacional, e será por  tempo indefinido. Queremos a revogação do Código Penal e esperamos no decorrer do dia, o governo nos escute e tome alguma posição. Não é um tema apenas do setor de transporte, mas sim, de todos os bolivianos. Nós não queremos viver um comunismo”, disse Angel enfatizando o apoio de toda população fronteiriça e também do setor de Saúde, por meio dos médicos que deverão, conforme ele, se juntar no ato no decorrer do dia.

Mesmo com o bloqueio da fronteira, o presidente da  associação de transporte pesado ainda afirma que, “as pessoas que queiram cruzar a fronteira a pé, podem seguir normalmente. Apenas não passam veículos”, afirmou.

O setor de transporte, que também tem o apoio da classe de Saúde, através dos médicos, que realizaram de forma pacifica, um protesto pelas ruas da cidade de Porto Quijarro, chegando a fronteira entre os dois países, na tarde de segunda-feira (08), já havia anunciado o bloqueio das estradas no final do ano passado.

Até o momento, nas primeiras horas do dia, cerca de 50 representantes do setor estavam no local em apoio ao ato

Eles esperam que o governo atenda o pedido da liderança nacional que, exige a revogação do Código Penal, sendo o artigo 205 no caso da classe médica e do artigo 137 do setor de transporte boliviano.

Para os viajantes, que necessitam da retirada de documentos para a entrada e saída do país vizinho, o setor de Migração, está funcionando normalmente.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: