Reunindo artistas locais, espetáculo “Reviva” dá início ao processo de resgate do Teatro Dom Bosco

Apresentação contou com a participação de alunos, oficinas, grupos e companhias de dança da região do Pantanal- Fotos: Leonardo Cabral

Com o intuito de resgatar parte da história de Corumbá, ex-alunos e alunos da Escola Dom Bosco, coordenados pelo professor e presidente da União dos Ex-Alunos da instituição escolar, Joílson Silva da Cruz, deram início na noite desta sexta-feira, 15 de setembro, ao espetáculo “Reviva Teatro Dom Bosco”. Uma verdadeira viagem ao passado, mostrando a importância do prédio, não só para a Escola, como também para o município pantaneiro.

Ao todo, o evento reuniu aproximadamente 200 alunos de academias, grupos e companhias de danças, que encaram essa “luta” para manter vivo um dos símbolos culturais mais importantes da cidade. As apresentações se encerram neste sábado (16).

Joilson disse que o trabalho será de formiguinha, mas a intensão é devolver para Corumbá um espaço importante da história cultural local

“São dois dias de evento. O objetivo principal de toda essa movimentação da classe artística e também dos próprios alunos e ex-alunos, é mostrar a importância que o Teatro Dom Bosco tem. Era aqui, o palco para muitos artistas se apresentarem nas décadas de 80. O peso cultural que o prédio tem, mesmo depois de muitos anos, ainda é forte. Temos que resgatar e é isso que estamos fazendo. Com trabalho de formiguinha, vamos conseguir”, destacou Joílson.

Além do Teatro, o local abrigou por cinco anos um cinema. Era ali o ponto de encontro não apenas de artistas, como para os moradores de Corumbá. “Toda essa história começa com o nosso eterno Padre Ernesto Sassida, idealizador do Teatro. Foi dele quem partiu essa longa caminhada que contribuiu, para o crescimento cultural e permanência dela até os dias atuais”, destaca Joílson.

“São 54 anos de história, o prédio foi erguido em 1963 e seis anos depois, em 1969, a família Anache, responsável pela empresa cinematográfica na cidade, propôs terminar o prédio e em concessão, utilizaria por cinco anos como cinema. Era um dos cinemas da cidade funcionado até a década de 80. Por isso resolvemos então, dar início nesse processo de resgate desse berçário cultural, tão importante para a região”, completa o professor.

“Reviva Teatro Dom Bosco”

O espetáculo vai até hoje, porém durante todo o dia ocorrerá oficinas de dança, que contará com renomados nomes da dança, do estado de São Paulo e também do Mato Grosso do Sul.

“Reviva” é o ponta pé inicial para o resgate do Tetro

“Todo o dia teremos esses workshops, onde a culminância será as apresentações de grandes espetáculos, no palco principal, Tetro Dom Bosco. O nome é bem significativo, pois através disso, queremos chamar a atenção para empresário e sociedade em geral, para juntos, possamos abraçar essa ideia e resgatar de vez o local que já garantiu a presença de grandes artistas da região e também a nível nacional. O sonho é poder ver casa cheia novamente, com os 400 lugares, capacidade no prédio, ocupados”, frisa Joílson.

O preço dos ingressos é popular. Toda a renda será revertida no início do processo de resgate do Teatro Dom Bosco. Existe também parcerias, como a Prefeitura de Corumbá e o intuito é também buscar apoio de empresários da região.

Comentários