Profissionais do Mais Médicos participam de capacitação em Corumbá

Capacitação ocorreu no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gomez. (Foto: Caline Galvão)

Oficina de Fortalecimento e Atualização do Processo de Trabalho na Atenção Básica em Saúde da Família e Comunidade foi realizada nesta quinta-feira, 14 de setembro, em Corumbá. O evento reuniu médicos do Programa Mais Médicos do Governo Federal para discutir ações que melhorem o atendimento da Atenção Básica no município. Profissionais de Ladário também participaram da capacitação. A oficina integra rol de atividades do Ministério da Saúde com participação das secretarias municipal e estadual de saúde e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. O evento ocorreu no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gomez.

Para Rogério Leite, secretário municipal de Saúde, “esse simpósio é uma ferramenta utilizada pelo Ministério da Saúde com a Secretaria de Estado de Saúde e com a Secretaria Municipal de Saúde para capacitar todos os profissionais envolvidos na Atenção Básica. Isso é importante porque é nesse momento que temos o primeiro contato com o paciente. Toda a Atenção Básica está envolvida nas prováveis ações que vêm subsequentes ao primeiro contato que o agente comunitário, o técnico de enfermagem e médicos das Unidades de Saúde têm”, disse o secretário.

A importância de uma oficina como esta é a capacitação que os profissionais recebem para ver quais dificuldades que têm no processo de trabalho, a fim de que sejam expostas para que plano de ação e metas possa ser elaborado, “a fim de alcançar perto do ideal a formatação de um plano de trabalho para a saúde. É uma ferramenta que nos dará uma condição melhor no processo de trabalho e o atendimento ao nosso munícipe”, completou Rogério Leite.

O secretário explicou que a UFMS está inserida no processo porque os médicos do programa não possuem CRM no Brasil, então a Universidade entra com formatação para o programa para que os médicos possam trabalhar na saúde no Estado. “Todos os médicos estrangeiros que vêm trabalhar no Brasil precisam de tutores, por isso, a UFMS trabalha na capacitação desses profissionais”, explicou.

Durante a oficina, pela manhã, houve discussão dos problemas enfrentados pelos profissionais e discutidos pontos positivos e negativos das atividades desenvolvidas por eles. Os participantes foram divididos em grupos para debateram com o intuito de alcançar soluções. Houve apresentação por parte da coordenadora de Atenção Básica da Secretaria de Estado de Saúde falando sobre o processo de trabalho, com base no que foi conversado nos grupos e apresentados por eles.

À tarde, cada município formou uma equipe que apresentou plano de ação para dois problemas que os médicos enfrentam em cada cidade. “O plano será disponibilizado para o coordenador da Atenção Básica de Saúde para que distribua para todos os médicos e unidades básicas de saúde, a fim de que o plano seja executado em cada unidade pelo médico e sua equipe”, explicou Elza Helena Krawiec, referência do projeto do Mais Médicos no Mato Grosso do Sul.

Estanilaa Ortiz, tutora do Mais Médicos pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, explicou que a UFMS é responsável pelo acompanhamento pedagógico desses profissionais. “Existe a supervisão, que mensalmente tem que ir aos municípios para acompanhar a atividade desenvolvida pelos médicos. A gente programou esse projeto da oficina de trabalho de educação permanente. Fizemos uma oficina no ano passado e agora estamos retornando”, disse Estanilaa. O projeto de fortalecimento e atualização do processo de trabalho acontece em todas as regiões do Estado onde há profissionais do programa federal.

Dentro do Ministério da Educação existe a Diretoria de Desenvolvimento da Educação em Saúde (DDES) e, por isso, o MEC também tem representante no projeto. “O MEC é responsável pelas instituições supervisoras que aqui no Estado é a UFMS, que acompanha a supervisão dos profissionais ligados ao Programa Mais Médicos. Depois que são feitas essas oficinas, a gente marca reuniões com supervisores para discutirmos o que foi repassado para estar capacitando a educação permanente voltada para a Educação em Saúde”, esclareceu José Carlos Godoi, referência do MEC no programa Mais Médicos no Estado.

Atuam em Corumbá 20 médicos do programa federal. Há mais quatro inscritos aguardando processo de formatação e construção de novas unidades básicas de saúde para que possam trabalhar na cidade.

Relacionadas

Comentários