Passagem de veículos é liberada na fronteira e manifestantes prometem nova paralisação na sexta-feira

Corumbá (MS)- Foi acordado no início da manhã desta quarta-feira (10), o fim do bloqueio realizado por caminhoneiros do setor de transportes boliviano, que bloqueavam a fronteira com Corumbá, desde ontem (09). O movimento que obteve uma grande participação a nível nacional, é o resultado de manifestações de diversos setores, que pedem a revogação do decreto assinado pelo presidente Evo Morales, que segundo eles, criminalizam diversas atividades como a do setor de transportes e de médicos que atuam no país.

De acordo com o presidente da associação de transporte pesado em Arroyo Concepcion, Angel Saabedra, em entrevista ao Folha MS, disse que a liberação da via se deu após negociação com representantes da Polícia Nacional da Bolívia, mas que as manifestações prosseguem até que o decreto seja revisto e que Evo Morales, se submeta ao desejo democrático do povo que disse não em referendo realizado no país sobre a mudança no código que lhe concederia o direito de disputar a reeleição mais uma vez.

Presidente do setor de transporte pesado na região, disse que bloqueio volta a ocorrer na sexta-feira

“Entendemos a necessidade de se liberar o tráfego de veículos na região, mas estamos de prontidão para a qualquer momento, se necessário, retomar as paralisações até que nossas reivindicações sejam atendidas. Estão querendo implantar uma ditadura em nosso país e isso o povo boliviano não vai permitir e se for necessário vamos paralisar a Bolívia novamente, até que representantes do governo voltem a negociar”, afirmou o sindicalista, informando que uma nova paralisação deve ocorrer na sexta-feira (12), em apoio a sete companheiros sindicalistas que teriam, segundo ele, sido detidos em Santa Cruz, responsabilizados pela organização da paralisação.

“A liberação acontece de forma temporária, até quinta-feira o tráfego segue liberado, mas conversamos com nossa categoria de Santa Cruz e ficou devido uma nova paralisação na sexta-feira em apoio aos nossos companheiros que se encontram detidos por participarem dos protestos”, afirmou.

Sem uso da força

Comandante da Polícia Boliviana, disse que entendimento evita o uso da força para liberação da via

Segundo o comandante da Polícia Nacional na província de German Buch, Donato Herrera, a categoria entendeu o posicionamento da força policial no sentido de que seria necessário de todos os meios para a liberação da via. “Como representantes da Polícia Nacional, estamos aqui para ter a garantida o cumprimento do que foi determinado em estabelecer a lei e ordem na região da fronteira, assim como em todo território Nacional. Conversamos com os representantes do movimento que entenderam que a melhor maneira seria evitar o emprego da força policial e reestabelecer de forma pacífica o tráfego de veículos na região”, afirmou o comandante ao Folha MS.

Protesto segue

Em outras regiões do país, apesar do governo boliviano afirmar que as forças policiais teriam restabelecido o tráfego nas principais vias, a imprensa boliviana confirma que ainda existem pontos de resistência e que o movimento segue agregando mais adeptos para se juntarem ao movimento. Os setores envolvidos prometem para próxima sexta-feira (12), uma nova onda de protestos a nível nacional, com o objetivo de forçar o governo a revogar o decreto que estabelece as novas regras do código penal boliviano. Além dos condutores de veículos pesados e médicos, representantes dos sindicatos dos condutores de táxis, mototaxi, minibuses prometem se juntar ao movimento.

 

Trânsito foi normalizado no local

Comentários