Novos pronto-socorro e Centro Obstétrico irão melhorar os serviços para mais de 130 mil pessoas na região de fronteira

Nova faixada da Santa Casa de Corumbá deverá ficar desta maneira- Fotos: Divulgação PMC

Reforma da recepção da Santa Casa, instalação de 30 novos leitos, construção de novo pronto-socorro e reforma e ampliação do Centro Obstétrico vão beneficiar população de mais de 130 mil habitantes, o equivalente a moradores de Corumbá, Ladário e fronteira. Os projetos de arquitetura e engenharia foram entregues à Secretaria de Estado de Saúde pelo prefeito Marcelo Iunes e secretário municipal de Saúde Rogério Leite.

O Município entregou no prazo estabelecido todo o projeto para dar andamento ao convênio, posterior licitação e início das obras. Conforme estabelecido em parceria, a Prefeitura entrou com os projetos, o Estado fez avaliação e vai liberar recursos. A Prefeitura de Corumbá também é responsável pelo processo licitatório e execução das obras.

Arquiteto Celso Duarte, responsável pelo projeto da nova recepção da Santa Casa e pronto-socorro. (Foto: Renê Marcio Carneiro)

Conforme o arquiteto Celso Duarte Corrêa, da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, o primeiro projeto contempla nova recepção geral da Santa Casa. O local terá banheiros acessíveis para o público, funcionários, sala de múltiplo uso para educação em saúde ou reuniões, além de elevadores, rampas e escadas. Serão dois elevadores, um para leito, em caso de internação, e outro de maca, que é o mais simples, podendo transportar passageiros.

A parte do pronto-socorro será o dobro do que existe hoje. Pelo projeto, na parte inferior há salas de inalação coletiva separadas em adulto e infantil e salas de observação adulto e infantil. “Esse projeto seguiu as normas do Ministério da Saúde e da Anvisa para oferecer melhor atendimento e menor risco de contaminação hospitalar. Além disso, vai oferecer bom atendimento para o público e os funcionários que terão melhores condições de trabalho. A infraestrutura será melhor”, afirmou Celso Duarte.

Com relação aos leitos, na parte de emergência serão dois leitos para adultos e um infantil, hoje há dois, porém, não existe o infantil. A sala de urgência, que não existia, foi criada através do projeto, onde terá quatro leitos adultos e dois infantis. No setor de observação são doze leitos, sendo seis masculinos e seis femininos com posto de enfermagem. Dentro do pronto-socorro há atendimento em nível ambulatorial com consultórios, salas de aplicação de medicamento, hidratação, salas de imunização, sala de coleta de material, salas de inalação, consultório odontológico com sala de esterilização própria e farmácia externa.

Na área de espera, haverá ala infantil, com brinquedoteca, há também a parte de circulação de emergência, onde tem todo o fluxo emergencial como salas de raio x, curativo e gesso, além de salas de ecocardiograma e de atendimento oftalmológico. Haverá quartos de isolamento com antecâmara, um para atender adultos e outro para crianças. Será instalada farmácia satélite interna, visando atender o público que está internado. Também terá sala de Depósito de Material de Limpeza (DML), sala de utilidades, de abrigo temporário de resíduos e a guarda macas.

Na parte superior do pronto-socorro será a área de internação cirúrgica com 30 leitos, sendo 29 de uso comum e 1 de isolamento. O local também contará com salas de utilidades, DML, parte de exames e curativos, posto de enfermagem, sala de estar para visitantes, espaço para equipe médica, chefia, supervisão de enfermagem e alojamentos para equipe plantonista. O local é construído com pé direito duplo, para ter visão da recepção no piso inferior. Conforme o arquiteto, o projeto remodela a ambiência do local, melhorando o conforto.

A área total do novo pronto-socorro é de 3.661,65 m² contando os dois pavimentos. No térreo, a área construída é de 2.150,14 m², enquanto o piso superior tem 1.338,08 m². Há também as áreas cobertas de 60 m² e 113,38 m² de marquise. O pronto-socorro será construído em área livre pertencente ao complexo da Santa Casa, localizada entre as ruas América e Sete de Setembro.

Centro Obstétrico

O projeto do Centro Obstétrico foi elaborado pela arquiteta Albermale Paesano, também da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos. O projeto se trata de reforma e ampliação do espaço já existente. O local será todo readequado para atender à nova norma estabelecida pela Rede Cegonha, do Governo Federal. O projeto contempla readequação da sala de cirurgia, criação de área de vestiário de barreira para poder oferecer área limpa conforme as normas para a sala cirúrgica.

Salas de parto normal foram readequadas com toda infraestrutura para a gestante ter o parto e no mesmo local a criança já ter os primeiros cuidados sob a supervisão da mãe. A higienização e o controle hospitalar serão aprimorados através do novo Centro Obstétrico. O piso será trocado, haverá reforma geral de instalações e o espaço será complementado com rede de gases e cobertura. Enquanto a obra acontecer, as gestantes serão atendidas em local adaptado. De área reformada serão 430,70 m² e ampliada serão de 135 m².

Novo centro obstétrico também faz parte do projeto

A intervenção no Centro Obstétrico do hospital de Corumbá visa à incorporação do atendimento e serviços relacionados à assistência a gestante nos períodos de pré-parto, parto e puerpério, bem como setorizar e concentrar os serviços e atendimento. Atualmente, a estrutura do local encontra-se com as salas de cirurgia obstétrica desativadas, funcionando no setor uma sala onde ocorrem os partos normais, uma sala para higienização do recém–nascido e um berçário, contrariando o que preconiza a Rede Cegonha. As cirurgias de ginecologia e obstetrícia ocorrem no centro de cirurgia geral do hospital.

A média mensal de procedimentos realizados na maternidade atualmente é de 60 partos normais, 90 cesáreas, 20 curetagens e 20 procedimentos clínicos, totalizando 153 procedimentos.

Projeto hidrossanitário

O engenheiro civil Maikon de Almeida Varela, da Secretaria Municipal de Saúde, elaborou projeto hidrossanitário e de drenagem de águas pluviais referente à ampliação do hospital e novo pronto-socorro. Conforme o projeto, o aquecimento da água utilizada nos chuveiros, lavatórios e duchas higiênicas de vasos sanitários dos leitos terá como fonte principal de calor a energia solar, captada por placas solares que serão instaladas na cobertura e reservadas em boilers (reservatórios térmicos de água quente).

Dentro de cada boiler haverá resistência elétrica de apoio para os dias nublados. Como sistema de backup, foram previstas tomadas elétricas disponíveis para cada chuveiro, para caso de manutenção do sistema principal. O mesmo sistema será adotado no Centro Obstétrico.

Quanto ao aproveitamento das águas pluviais, 96% da água da chuva que incidir sobre os 2.473 m² de cobertura do novo edifício serão conduzidos a um reservatório enterrado com sistema de bombeamento para retirada da água (algibe) de cerca de 9 mil litros. O reservatório disponibilizará a água armazenada para limpeza de pátios e manutenção de jardins, contando com sistema de bombeamento acionado por válvula de fluxo, ou seja, quando uma torneira ligada ao sistema for aberta, automaticamente a água será extraída do reservatório para ser aplicada com pressão pelo sistema de bombeamento.

Comentários