Império exalta a sustentabilidade com enredo sobre o meio ambiente

Império conquista o título do carnaval corumbaense de 2015 / Foto: Arturo Ardaya
Império conquista o título do carnaval corumbaense de 2015 / Foto: Arturo Ardaya

Corumbá (MS)- Com um tema atual e cada vez mais discutido, a Império do Morro entrou na avenida na noite desta segunda-feira (16), apostando na sustentabilidade e fazendo um alerta sobre a necessidade da conscientização para preservação do meio ambiente.

Com uma temática politicamente correta para a segunda escola a entrar no circuito do carnaval cultural mostrou o samba-enredo “A Império Canta Ecologia – O futuro do Planeta em Nossas Mãos”.
O enredo de conscientização ambiental é do carnavalesco Kiro Panovitc, e para trabalhar o tema, a agremiação escolheu materiais reciclados para fazer seus trajes e alegorias.

Durante seu desfile sustentável, a Império, em sua comissão de frente formada por 12 coreógrafos, mostrou a transformação gerada no meio ambiente através da interferência do homem na natureza. Um dos mais preciosos elementos da vida ganhou forte representatividade no desfile e o carro abre alas “Água a fonte de vida”, que transmitiu a necessidade de seu uso consciente.
Os 130 componentes da bateria também se destacaram junto de sua rainha Lucilinha Victório que se apresentaram como fiscais da natureza. Em destaque, a escola trouxe um elemento cenográfico representando o altar da rainha que por vezes foi erguida em plena avenida.

GRES Império do Morro

Fundação: 15/08/1958
Presidente: Bianca Baruki
Cores: verde e rosa
Carnavalescos: Kiro Panovitch
Enredo: “A Império canta a ecologia e o futuro do Pantanal em nossas mãos”
Samba-enredo: “A Império canta a ecologia e o futuro do Pantanal em nossas mãos”
Compositor: Wander Timbalada
Intérprete: Wander Timbalada
Número de componentes: 1200
Número de alas: 16
Número de carros alegóricos: 05
Componentes da bateria: 130
Porta-bandeira: Jocimary
Mestre-sala: Juruna
Rainha da bateria: Lucilinha Victório
Mestre de bateria: Ninho

Compositor e intérprete: Wander Timbalada
Eu sou a voz!
Um grito de alerta pra humanidade
Desejo e fé
Que o homem tenha menos ambição
A tecnologia usou sem a razão
Despreza com a ganância o criador
Que concedeu a terra e a vida

Cadê o ar puro que vem lá das matas
Nos rios, cascatas já sacam as águas
A fauna e flora e extinção,
O equilíbrio fugindo em suas mãos

Vou sofrendo refém de um veneno
Que veio com a evolução
Chega dar tristeza ao ver destruir a minha beleza
No limite da sabedoria
Na ciência quem diria conseguiu se superar
Usou o átomo sem consciência
E, pôs em risco a civilização
O lixo reciclou, o vento controlou, sonhou, voou
Hoje Alguém veio refletir, ilustrar, protestar
A luz da esperança está no ar
Reformar é ser perfeito
Novos conceitos construir sem maltratar
Ter mais amor por mim que assim não tenho fim
Em verde e rosa eu sou a flor do seu jardim

Hoje a império vem clamar
O amor vai semear
Com mais consciência a nossa existência
A vida vai brilhar

Comentários