Estação Primeira agrada público ao “abrir” as cortinas reverenciando bailarina

Abrindo as cortinas do palco por onde passou, a Avenida General Rondon, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira do Pantanal, foi a responsável em abrir, às 20h43, desta segunda-feira, 12 de fevereiro, a última noite do desfile das escolas de samba de Corumbá. Agradando o público, a Estação Primeira trouxe para a Passarela do Samba, a vida artística da bailarina Ana Paula Honório.

Com uma passagem irreverente, a agremiação contou desde os primeiros passos dado pela bailarina no palco, até a vida atual da homenageada, que hoje, vive em Corumbá.

Apostando no enredo “Abram as cortinas que o espetáculo vai começar, a Estação Primeira apresenta Ana Paula Honório”, a escola de samba contou em seu desfile com cerca de 850 componentes, divididos em 16 alas. Foram apresentados quatro carros alegóricos, mais o abre-alas e um tripé.

Bailarina Ana Paula Honório foi a homenageada no desfile da Estação Primeira / Fotos: Juan Galeano

A comissão de frente, mostrou em meio a sua coreografia, o sonho de Ana Paula, antes de se tornar profissional neste mundo da dança, que tanto a satisfaz.

No desfile, houve uma interação da comissão de frente, com o carro abre-alas, que além de trazer o nome da agremiação, deu continuidade a essa fábrica de sonhos com muitas engrenagens representando máquinas, por mio do Trem, nas suas composições, onde o sonho e realidade se unem, chegando a virar realidade.

Toda a trajetória da vida profissional da bailarina pode ser vista por meio das alas. As cores coloridas deram um charme a mais no desfile da Estação Primeira que acabou não esquecendo de incorporar a dança do ventre, uma paixão pessoal de Ana Paula, onde com o passar do tempo, vem disseminando todos os seus conhecimentos da dança, através de seu estúdio na cidade pantaneira.

Ditando todo o ritmo da escola, além da alegria dos integrantes, a bateria, com a fantasia “Soldadinho de Chumbo”, animou o público. Os 80 ritmistas fizeram da Avenida, um verdadeiro palco, para a apresentação da agremiação, que teve como comandada a rainha Joyce Alcântara, que acabou demonstrando muito samba no pé, se unindo ao clássico, o balé, sua fantasia.

O desfile foi encerrado com a passagem do último carro alegórico, representando o estúdio de Ana Paula Honório, local onde consegue não apenas por em prática tudo aquilo que apendeu ao longo dos anos enquanto profissional, como também ensinar futuras gerações.

A Estação Primeira, além de agradar o público, abusou da criatividade em suas fantasias, bem como com maior parte das alas coreografadas, levantando os foliões.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários