Responsável pelo corpo de jurados apresenta justificativas pelo resultado do Carnaval de Corumbá

Em nota responsável pelos jurados apresenta justificativas para resultado do Carnaval de Corumbá / Foto: Arturo Ardaya

Em nota responsável pelos jurados apresenta justificativas para resultado do Carnaval de Corumbá / Foto: Arturo Ardaya

Corumbá (MS)-Após a repercussão do resultado do Carnaval corumbaense em que diversas escolas contestaram as notas dadas e ainda a avaliação apresentada pelos jurados, justificando os pontos em que cada agremiação foi penalizada na avenida, a responsável técnica pelo júri emitiu uma nota de esclarecimento.

Veja a nota na íntegra

Senhores, eu Claudia Marinho, gabaritada e responsável pelo Corpo de Jurados do Carnaval de Corumba-MS, venho através desta nota agradecer a todo o povo Corumbaense pelo calor e carinho no qual nos receberam durante os quatro dias de carnaval em que estivemos nesta linda cidade. Me sinto no direito de pontuar algumas questões que percebi nos dois dias de carnaval. Um Carnaval que apresenta uma imensa vontade, boa fé, e rica de boas iniciativas. Porém, com muitos pontos a melhorar.

Sabemos que ao final desta linda festa, somente uma torcida de fato iria gritar “Sou Campeão”, e dai surgem as criticas, os manifestos, e o principal: “a reflexão dos erros e dos acertos”. O povo corumbaense merece um amadurecimento desta festa. A todo momento demonstraram ser apaixonados pelo carnaval. Esta cidade tem o material fundamental para o sucesso e aperfeiçoamento: “O povo”.

O que percebi foi tamanha inexperiência por parte das agremiações perante as técnicas de desfile de uma escola de samba e a peça chave para o sucesso são os seus componentes. O calor do povo corumbaense não foi demonstrado na avenida( Harmonia e Evolução) de uma forma geral este quesito depende exclusivamente do calor humano e alegria. A maioria dos componentes das escolas não cantavam, dançavam e principalmente não expressavam felicidade, digo, essa foi a realidade da maioria das escolas. Posso afirmar que só um agremiação cruzou a avenida de ponta a ponta cantando. Faço essa colocação como ponto de atenção, pois harmonia e evolução é um quesito que depende exclusivamente do componente “não tem custos”, o valor deste quesito é alegria de cada um estar defendendo o seu pavilhão,as suas cores. Todas as escola entram na avenida com a nota dez e ao longo do desfile esta nota e mantida ou vai sendo subtraída de acordo com sua exibição. O papel dos jurados é identificar os erros, e assim pontua-los. Percebo claramente que existe pouco cuidado com os detalhes, detalhes estes que tiram ou podem dar o campeonato a determinada agremiação. Ganha o carnaval quem “errar menos” e isso e um fato e deve ser considerado.

Todas as agremiações, sem exceção perderam pontos preciosos na terceira torre de jurados, ali foi o momento em que as escolas jogaram fora um ano inteiro de trabalho. Tenho certeza que no próximo ano Corumbá vai ganhar um desfile mais técnico (completo), e com isso o povo que assiste o desfile no final da avenida terá o mesmo privilégio, o de assistir ao desfile com a mesma qualidade do público que assiste desde o inicio da avenida. O público que assistiu o desfile no final da avenida foi penalizado devido aos componentes terem passado sem compasso de dança, muitos andando, correndo até mesmo fazendo uma Involução (andando para trás), tirando fotos(este fato também aconteceu no inicio dos desfiles) e tentando cobrir buracos, clarões deixadas por alas anteriores. Alegorias que prenderam ao fio na frente da torre três (cabine de jurados). Ali foi sem duvidas o setor do “sofrimento”. Sofrimento dos componentes e jurados que sabiam que deveriam pontuar e principalmente dos expectadores, que torciam para tudo dar certo.

(Destaques caíram, alegorias se danificaram, tudo nesse setor).

Por que isso acontece? Onde estão os diretores de harmonia e evolução destas escolas? Escolas paradas por nove minutos aguardando um “pau” para levantar os fios. Ensaio técnico serve para que? Todas as escolas receberam as metragens da avenida pela LIESCO, certo? Quando cito que é preciso mais cuidados com os detalhes, digo com propriedade, carnaval se vence com os detalhes, os expectadores veem um todo, brilho, luxo, cores e etc. O jurado esta ali para ver mínimos detalhes, lamentavelmente vimos alas bem vestidas com sapatos fora do padrão, a maioria das escolas tinham componentes com calçados diferentes das propostas: tênis de cores diversas e outros descalços, enfim, estamos falando de agremiações que entraram na avenida com o propósito de disputarem o campeonato. Será que acharam que os sapatos não fazem parte da fantasia, ou subestimaram a competência do corpo de jurados? Falando em detalhes, como pode uma escola que tem como enredo um tema infantil, trazer em sua comissão de frente um “menino” caracterizado de senhor, vovô, dando a entender ser um homem maduro,um vovô, sabido por todos que esse personagem fazia parte da evolução da comissão de frente, sendo que mais uma vez pergunto: aonde esta a riqueza dos detalhes? A caracterização era muito pobre, o rosto do rapaz era muito jovem, o envelhecimento do rosto do jovem rapaz era de suma importância para entrar no personagem e dar consistência ao enredo.

O corpo de jurados esta ali para assistir ao espetáculo e mais uma vez enfatizo, também para ver os mínimos detalhes.

A comissão de frente tem como obrigação de ser apresentar ao público e principalmente ao jurado. Como não pontuar uma comissão de frente que não se apresenta para os jurados? Um mestre sala e porta bandeira que não se apresenta para os jurados e consequentemente não apresenta o seu pavilhão, tende se a ser penalizado.

Determinada agremiação trouxe como destaque da alegoria o rei Pelé que em seu release faria embaixadinhas, o que de fato não aconteceu. A rainha Marta (que não estava na avenida), como não pontuar? Não existia no desfile desta determinada agremiação nenhum componente caracterizado de “Rainha Marta”. Como não penalizar uma alegoria que tem como destaque uma criança, e vem com um maço de cigarros em cima? Bonés jogados na parte traseira, certamente que pertenciam aos apoiadores humanos (pessoas que empurram os carros). Garrafa d’água mineral ao lado do destaque. Estes objetos faziam parte das alegorias? Isso se chama detalhe e todos eles são observados com maestria e capricho pelo corpo de jurados.

Quanto ao quesito samba-enredo, o julgamento do quesito deve ser feito conforme as análises feitas em observação a sinopse do enredo apresentada (Release). Levando em conta a letra e sua melodia. Ressalto que quaisquer outras informações contidas em referencia a letra do samba não pode ser levado em consideração, tal quais justificativas ao lado da referida letra.

Não há justificativa neste caso, pois as informações devem estar contidas no entendimento da letra do samba-enredo.

Este adendo fez parte do release apresentado pela escola de Samba “A Pesada”, que tendo em sua letra faltas de características que compunham o enredo, tentou equivocadamente incluir tais informações como justificativas. Além de, o Samba do GRES A Pesada , em seu enredo que falava do sonho e infância de Ataúlfo Alves e Casimiro de Abreu (compositor e poeta, respectivamente), nota se que em nenhum momento estas personalidades foram citadas na letra do seu samba.

Aproveito a oportunidade para pontuar o prêmio Esplendor:

Sugiro uma reflexão por parte dos organizadores: entregar uma premiação deste porte horas antes da apuração final é incoerente e foge as regras, pois pode ocasionar grandes e ilusitórias expectativas aos torcedores, agremiações e aos demais premiados.

Um ponto sobre a mídia: Fazer a cobertura dos desfiles de ponta a ponta da avenida, concentração a dispersão, pois é inviável e imaturo julgar e consequentemente premiar as agremiações pelo que é visto somente por um ponto da avenida (cabine da mídia no inicio do desfile). O que é visto no inicio da passarela não é a realidade em toda a sua extensão. Em três dias de desfile eu, Claudia Marinho, não vi nenhum repórter atravessar a passarela até a dispersão. Então questiono: Como premiar os quesitos comissão de frente, meste sala e porta bandeira, harmonia e evolução e melhor escola visto apenas de uma posição? Um ângulo, que não lhe permite uma visão geral do desfile e seus acontecimentos?

Sugiro também aos organizadores que revisem as infraestruturas das cabines dos jurados para o próximo ano, pois, não havia iluminação adequada nas cabines(sendo inadmissível uma cabine de julgamento não ter luz própria, tratando-se da seriedade do trabalho em questão). Sem nenhuma proteção, conforme os dois últimos dias de desfiles. Choveu, molhando os jurados e consequentemente algumas anotações, tendo os jurados que fazer várias manobras para que os documentos não fossem rasurados.

Desta forma, com o meu respectivo respeito e admiração a todas as agremiações e a LIESCO, anseio para o próximo carnaval mais brilho…que o luxo venha no canto dos seus componentes. Acreditando que o próximo carnaval haverá mais cuidados nas riqueza dos detalhes e que a evolução seja de fato uma revolucionaria em busca da nota máxima.

Comentários