Descontentamento leva escolas de samba a estudar criação de nova associação

Encontro reuniu representantes de cinco agremiações / Foto: Erik Silva
Encontro reuniu representantes de cinco agremiações / Foto: Erik Silva

Corumbá (MS)-A ideia surgiu durante reunião realizada na noite desta quinta-feira (19), na quadra da escola de samba A Pesada, e contou com a presença de representantes de cinco agremiações do carnaval corumbaense. A conversa já estaria em pauta para acontecer antes mesmo da apuração dos votos e serviria para discutir o resultado do último desfile, porém, a forma com que foi conduzido por parte da Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá (Liesco), o carnaval de 2015, gerou imensa revolta e descontentamento em boa parte das escolas participantes.

Tamanha indignação foi gerada a partir das notas apresentadas pelos jurados contratados pela Liesco para realizar o julgamento durante os desfiles, bem como a falta de imparcialidade da presidência da Liga mantendo em sua diretoria integrantes de uma das escolas participantes do desfile, sendo visto inclusive beijando a bandeira da referida agremiação durante o ensaio técnico. A reunião levantou a questão sobre a possibilidade da criação de uma nova associação que de fato pudesse representar as agremiações de forma isenta.

A necessidade de mudanças é algo unanime entre todos os presidentes das agremiações que ainda ressaltaram a força das escolas de samba de Corumbá e sua importância para o município.

“Não dá mais para termos uma liga que de independente tem apenas o nome no papel, mas que na verdade é totalmente dependente do poder público e nada faz para mudar este quadro. Cada um de nós temos uma parcela de culpa neste processo, porém é inconcebível observar um grupo tão importante para cidade como as escolas de samba, que através do nosso trabalho, somado aos investimentos públicos, beneficiam a cidade economicamente e geram um retorno de mais de R$ 12 milhões de reais em todos os anos sair a cada desfile mais endividados do que o inicio do carnaval”, disse.

De acordo com Luis Bosco presidente da Mocidade Independente da Nova Corumbá, o intuito da reunião é de definir o rumo que o carnaval de Corumbá tomará após o descrédito com o resultado atual. “ Nossa preocupação não é com quem ganhou ou com quem perdeu, mas sim como se deu esse resultado, precisamos de uma liga que seja de fato independente, com membros que não estejam vinculados a nenhuma escola” afirmou.

“Para nós o próximo carnaval já começou, e cada minuto é importante se quisermos mudar e não voltar a ver o que aconteceu neste ano, uma completa falta de critérios e resultados incoerentes. Respeitamos cada agremiação sabemos do trabalho e das dificuldades que cada uma passa para colocar a escola na avenida, mas não podemos admitir que o trabalho de um ano todo se perca pela incapacidade administrativa de uma instituição autoritária”, concluiu.

Presidente da escola de samba Imperatriz Corumbaense, Clemilson Medina falou a reportagem do Folha MS que a reunião é considerada positiva em busca de um novo horizonte para as escolas que fazem parte do carnaval de Corumbá. “O que colocamos aqui são as nossas angustias e nossos anseios, não estamos contestando a escola que foi a campeã nem a questão da apuração, o que nós queremos e organizar a casa, seja por meio da liga com a reestruturação da instituição ou até mesmo pela criação de uma nova associação, mas da maneira que esta isso não será possível”, afirmou

“A Liesco é uma das únicas instituições em que seus principais participantes que são as escolas, não tem voz, não tem direito a voto e nem representatividade dentro do órgão. Quer dizer que, as escolas movimentam o carnaval, geram emprego renda e não tem direito sequer a participar das decisões e indicar o que de fato seria melhor para todos nós”, concluiu.

Para Ednir de Paulo, integrante da diretoria da Pesada, as medidas já estarão sendo tomadas no sentido de reorganizar a liga. “Independente do resultado somos contra a falta de transparência da atual administração da Liesco, e para mostrar nossa indignação, estaremos junto com outras agremiações produzindo um manifesto solicitando a renúncia da atual presidência da liga, para que possamos trabalhar para reorganização da instituição e fortalecimento das escolas de samba até para que possamos estar buscando parcerias privadas, mas para isso é preciso de uma Liga isenta, responsável e acima de tudo transparente”, disse Ednir informando que, caso a presidência da Liesco não renuncie, A Pesada, juntamente com outras agremiações, entre elas algumas das consideradas maiores da cidade,  estarão solicitando o desligamento junto a liga da escola e dando início ao processo de criação de uma nova associação das escolas de samba de Corumbá.

Relacionadas

Comentários