Corumbaense firma acordo judicial e encerra disputa com Junior Tevez na justiça trabalhista

Jogador cobrava indenização do clube após se machucar durante comemoração de gol em 2013 / Reprodução TV Morena

Chegou ao fim a “batalha” judicial em que se transformou a relação entre o ex jogador do Corumbaense Junior Tevez, e o Carijó da Avenida. Desde que se lesionou durante a comemoração de um gol, durante uma partida de futebol válida pelo campeonato Estadual no ano de 2013, Tevez buscava na justiça do trabalho uma compensação financeira, alegando que o clube não teria prestado o apoio necessário para sua recuperação.

Natural do estado da Bahia, o jogador que sofreu uma grave lesão no joelho ainda tem vínculos com o Corumbaense e desde então vem recebendo o auxílio acidente. A disputa na justiça teve alguns capítulos marcantes, como o bloqueio total da renda, de um dos jogos do time no campeonato estadual em 2016.

Em 2017, às vésperas de uma das mais importantes decisões vividas pelo time da avenida General Rondon, novamente a justiça chegou a pleitear o bloqueio da sede social do clube que seria colocada a leilão para quitação da dívida com o jogador. Passados quatro anos e alguns episódios da disputa, o presidente do Corumbaense, Luiz Bosco Delgado, confirmou ao Folha MS que um acordo foi firmado na justiça da Bahia, para quitação dos débitos.

Ao todo o jogador deverá receber R$ 303 mil reais divididos em três parcelas de R$ 101 mil cada. Segundo Bosco, o valor é mais condizente com a realidade do clube, uma vez que o ex-jogador brigava por um valor muito acima do acordo firmado.

Presidente do Clube falou sobre o acordo trabalhista fechado com o ex jogador do clube

“Conseguimos solucionar esse problema que já se arrastava há mais de quatro anos, nosso advogado esteve na audiência que foi realizada na Bahia e acertamos esse valor. O atleta pedia algo em torno de R$ 700 mil, um valor muito acima da nossa realidade e acabava impedindo que quitássemos a dívida”, afirmou.

Segundo relatou, o recurso para quitação do débito com o jogador virá do valor disponibilizado pela CBF para participação da Copa do Brasil, além de recursos próprios do clube advindos das assinaturas de sócio torcedor e venda de produtos com a marca do clube.

“Buscamos desde que assumimos a diretoria, trabalhar com responsabilidade e organizar a casa. E estamos mantendo essa finalidade com muitos avanços, conseguindo parcerias junto a iniciativa privada, recompondo a credibilidade da marca do Corumbaense, reformamos recentemente a sede social do clube que é o mais antigo do estado, climatizamos o espaço e agora estamos trabalhando com afinco para resolver as pendencias financeiras do time e assim trilhar um caminho vitorioso”, concluiu o presidente.

 

 

Relacionadas

Comentários

%d blogueiros gostam disto: