Acusados de matar e enterrar casal são transferidos para presídios de Corumbá

Foram transferidos para Corumbá na tarde de quinta-feira (11), Diego Antônio da Silva (25) e Rita de Kássia Ledesma (23), acusados de terem assassinado a mãe e o padrasto de Rita, e posteriormente enterrado o corpo das vítimas na cozinha da casa onde moravam. O crime foi descoberto no dia 24 de novembro de 2017, quando parentes das vítimas deram falta do casal e passaram a questionar os autores sobre o paradeiro dos mesmos.

Rita e Diego fugiram de Corumbá depois de venderem objetos e moveis do casal e ficaram foragidos até o dia 18 de dezembro, quando acabaram sendo reconhecidos quando faziam compras em um supermercado na cidade de Chapadão do Sul. Eles foram denunciados e capturados sem oferecer resistência por policiais civis e militares do município, em um hotel da cidade.

Autores foram presos em Chapadão do Sul e confessaram o crime

Segundo informações dos investigadores, sem dinheiro, o casal chegou a pagar a dívida no hotel, com o celular de uma das vítimas morta por eles. No quarto onde estavam hospedados, os policiais encontraram os documentos do casal assassinado e a filha de Rita e Diego, uma criança de três anos, que foi encaminhada ao conselho tutelar.

Segundo informações, ambo confessaram friamente os assassinatos que teria sido motivado pelo fato da mãe de Rita não aceitar o relacionamento entre os dois. Eles foram transferidos para os estabelecimentos penais feminino e masculino de Corumbá onde aguardam julgamento.

Relembre o caso

Casal foi enterrado e corpos cobertos por terra e cimento- Foto: Arquivo pessoal família

Paulo Mariano Pinto, de 58 anos, e sua esposa, Marilene Ledesma Ferreira, de 53 anos, foram mortos a golpes de faca e pedradas conforme apontou o exame de necrópsica realizado pelo IMOL- Instituo Médico Odontológico Legal, Unidade Regional Perícia da Polícia Civil de Corumbá.

Os corpos das vítimas foram encontrados enterrados na cozinha de uma residência, localizada no Loteamento Pantanal, parte alta da cidade, na manhã de sexta-feira, 24 de novembro, em um buraco cavado provavelmente pelos envolvidos, que utilizaram cimento, terra e tijolos, além de uma pá.

O laudo da perícia aponta que os corpos estavam enterrados há mais de 10 dias no local.

As vítimas estavam desaparecidas há quase 15 dias, o que acabou chamando a atenção de vizinhos e parentes, que começaram buscas sobre o paradeiro de ambos. Até mesmo um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Polícia Civil.

Desconfiados, uma irmã de Paulo Mariano Pinto e seu esposo, foram até a casa, porém em contato om os suspeitos, eles teriam dito, que o dois haviam ido até à Bolívia, para fazer compras e logo retornariam. No dia seguinte, eles retornaram até a casa e não encontraram mais o casal, que teriam ainda vendido parte dos móveis, foi quando resolveram entrar na residência, acabando assim, encontrando os corpos do casal, enterrado em um dos cômodos.

Sobrinho desconfiou de um amontoado de terra e acimentado feito no interior da casa / Foto: WhatsApp

Relacionadas

Comentários

%d blogueiros gostam disto: